Conheça suas Emoções Básicas – Psicologia

Conheça suas Emoções Básicas – Psicologia

23/06/2020 0 Por Najma Alencar
Tempo de leitura: 4 minutos

Emoção, Sentimento, Sensação… Usamos essas palavras como sinônimos, mas existe algumas diferenças entre elas.
Hoje vou te apresentar as emoções! A importância de conhecer as emoções para que elas não te controlem, para que você pare de agir por impulso, sem controle sobre você e principalmente sem entendimento do que está acontecendo, meu desejo é que você viva com mais harmonia, sabedoria e leveza.

O que são emoções?

Uma emoção é uma reação a um estímulo ambiental. Ou seja, algo no ambiente desencadeia uma emoção. Por exemplo: você está prestes a atravessar a rua, olha para os lados e segue, de repente um carro em alta velocidade aparece! Qual sua reação? Muito provavelmente vai desencadear a emoção MEDO.

Ao ser exposto à alguma emoção, o cérebro libera hormônios que alteram o estado emocional da pessoa. Isto quer dizer que podem ocorrer reações físicas, como taquicardia, suor, etc.

Diferente dos sentimentos, (que são gerados a partir das emoções) essas reações são automáticas, são reações primitivas. Diante de algum acontecimento, cada pessoa passará por uma emoção distinta, que será processada no cérebro instantaneamente.

Quais são as emoções básicas?

Somos pré programados com algumas emoções básicas, são elas: tristeza, raiva, alegria e medo. Vamos conhecer todas elas e entender como seu corpo ativa cada uma delas?

Raiva

A RAIVA é uma emoção primitiva. Quando nos deparamos com um evento entendido como ‘perigoso’, nosso organismo libera Adrenalina.

Os homens produzem a Testosterona que potencializará a decisão de lutar em vez de fugir.
As mulheres também têm este hormônio, mas aproximadamente 20 vezes menos. A união, então, da Adrenalina com a Testosterona gerará o impulso para o combate.

As vezes a raiva é interpretada como algo ruim, mas ela não é! existe raiva produtiva! assim como tudo na vida tem dois lados… também existe raiva negativa.

RAIVA PRODUTIVA

✓ Nos impulsiona às mudanças e nos coloca em um estado defensivo;
✓ Nos coloca em movimento para alterar uma situação de frustração;
✓ Nos impulsiona a enfrentar, lutar e se defender;
✓ Nos faz estabelecer limites e nos dá energia para mudar uma situação em que nos sentimos injustiçados.
Podemos entender a raiva produtiva como uma energia que nos coloca em movimento de mudança.

RAIVA NEGATIVA

✓ Se manifesta por meio da agressividade, com o outro ou com nós mesmos.
✓ O calor das emoções afeta significativamente a função racional, e agimos de forma primitiva agredindo verbalmente ou até fisicamente.
O sentir raiva e ter comportamentos agressivos diz que você não tem controle interno. Aprender sobre essa emoção é o primeiro passo.

Alegria

Quando nos sentimos alegres, é liberado o neurotransmissor Dopamina, em conjunto com a Serotonina, o Hipotálamo libera a Ocitocina, a Hipófise libera a Endorfina e o seu sistema fica inundado de neurotransmissores incríveis, desencadeando uma reação. Por exemplo: Um cachorrinho abanará o rabo, o pássaro cantará, um gato ronronará e o golfinho saltará da água. E você? O que você faz ? Já observou quais suas reações ao sentir alegria?
Os benefícios da alegria:
✓Funciona como um combustível que nos ajuda a superar as dificuldades da vida;
✓É uma emoção reguladora e que torna a vida agradável;
✓Equilibra as experiências de frustração, desilusão e afetos negativos em geral;
✓Permite a preservação do bem-estar emocional diante de estressores;
✓Gera a gratidão genuína pela vida;
✓Nos reconecta com nossa essência;
✓A alegria compartilhada tem o poder de multiplicar e contagiar a todos ao nosso redor.

Tristeza

CURIOSIDADES sobre a TRISTEZA.

✓ A Tristeza não tem neurotransmissor e nem hormônios.
✓ A Tristeza é ausência de Alegria, Prazer, Satisfação, Motivação, Ação, Amor, Carinho, Paz, Perseverança, etc.
✓ Na maior parte das vezes ela se manifesta por perdas e prisões do passado. Surge quando perdemos pessoas ou coisas com o qual mantínhamos um forte vínculo emocional;
✓ Aparece também quando agimos de forma incongruente com nossos valores, trazendo sentimento de culpa, angústia;
✓ Eventos que nos fizeram sentir decepções, humilhações, abandono, críticas, injustiças, traições, agressões, rejeições através das ações de outras pessoas;
✓ Nos ensina a lidar com as perdas e decepções da vida; .
✓ Propicia um ajustamento a uma perda, permite-nos descansar, recuperar as energias e nos ajuda a deixar ir o que já perdemos, abrindo espaço para novas experiências. Fechando ciclos antigos e abrindo novos;
✓ Quando a tristeza é profunda, aproximando-se da depressão, a velocidade metabólica do corpo fica reduzida;
✓ Quando compartilhada, traz alivio.

⚠️Muitas pessoas acabam camuflando essa emoção, querendo que ela acabe rapidamente. Mas as pessoas que passam por cima da tristeza acabam reprimindo sua dor e fazendo com que ela cresça ainda mais, se transformando em doenças como depressão.

Medo

O medo é um legado evolutivo, primitivo e inevitável. Ele te protege e por isso ele é bom.
No seu corpo ele acontece assim: quando você se depara com um evento perigoso, a Amígdala dispara o comando para as glândulas supra-renais liberarem no organismo a Adrenalina. O corpo então, recebe energia para obter força para lutar ou fugir.
O medo é a primeira emoção sentida pelo ser humano e a que faz parte do nosso dia a dia também. Porém, quando passa do medo dito normal para o medo onde o perigo é exagerado (para aquela situação) ou imaginado, damos o nome de fobia.
Por exemplo, é natural temer um cão rosnando, mas é irracional se sentir aterrorizado com um filhotinho sentado. Ou seja, os medos tornam-se motivo de preocupação quando se tornam persistentes e interferem no seu cotidiano.

MEDOS IMPORTANTES para a vida X MEDOS QUE NÃO FAZEM SENTIDO para a vida

Os medos importantes são os medos que preservam nossa vida, é o medo bom, evolutivo, primitivo. Porém, existem alguns medos comuns que não fazem sentido para a vida e que tem total natureza emocional, como o sentimento de incapacidade, inferioridade e não merecimento.

O medo desnecessário pode desenvolver algumas fobias que é o formato de um medo completamente irracional e incontrolável (como o exemplo do medo do cachorrinho citado acima). Só em pensar sobre o objeto ou situação temidos, pode provocar um quadro de ansiedade extrema.

Compartilhar seu medo não é criar peso em outras pessoas com seus problemas. É trocar experiências construtivas sobre suas fobias, medos e aflições. Isso facilitará, de certa forma, um desbloqueio emocional e os ruídos mentais. Preste atenção nas reações das pessoas quando comentar.

E se você conhece alguém com um medo desproporcional ou com algum diagnóstico de fobia, crie você um espaço de compartilhamento sem julgamentos, releia o parágrafo de cima como se você estivesse propondo isso. E lembre-se que externalizar emoções ajuda a aliviar grandes cargas emocionais. .
✍️ Agora é sua vez!
Faça uma autoanálise! Reflita sobre Os sentimentos que causam medo. É importante realizar uma observação atenta de nossos obstáculos mentais e emocionais.